Diversidade na mira: Empresa de capital de risco para mulheres negras na moda é alvo de ativistas conservadores nos EUA

08/08/2023

Fearless Fund, fundo de capital de risco para mulheres negras é alvo  de movimento ativista conservador que liderou a campanha bem-sucedida contra as ações afirmativas nas admissões universitárias.

Foto: Paras Griffin / Stringer / Getty Images
Foto: Paras Griffin / Stringer / Getty Images

O "Fearless Fund", empresa de capital de risco com sede em Atlanta que investe em mulheres negras, está enfrentando um processo por suposta discriminação racial movido pela "American Alliance for Equal Rights" (AAER), um grupo afiliado a um ativista conservador envolvido no "The litigation", que levou à Suprema Corte dos EUA a derrubar as ações afirmativas em admissões universitárias em junho. O processo alega que o programa de doações a pequenas empresas lideradas por mulheres negras viola a Lei dos Direitos Civis de 1964. 

A controvérsia reflete a disparidade no financiamento de capital de risco para startups de propriedade de negros, especialmente mulheres negras, em comparação com empresas fundadas por pessoas brancas. Edward Blum, presidente da AAER e responsável por desafiar com sucesso as políticas de admissão universitária baseadas em ações afirmativas, espera que o processo contra o "Fearless Fund" leve outros programas semelhantes a reavaliar o uso da raça como critério de elegibilidade.

Em uma publicação no instagram da empresa, o grupo disse "Somos descendentes de escravos. Representamos mulheres negras", diz a postagem. "Estamos em posição de oferecer oportunidade econômica e liberdade às mulheres negras e continuaremos a fazer esse trabalho."

A decisão judicial terá implicações não apenas para o "Fearless Fund", mas também para outros negócios focados em minorias, levantando questões sobre os esforços de diversidade e inclusão em vários setores.

Fonte: Fortune.com