'STOP SHEIN' é o novo protesto contra o Ultra Fast Fashion

08/06/2023
 VALENTINE CHAPUIS / PHOTOPQR / LA DÉPÊCHE DU MIDI / MAXPPP
VALENTINE CHAPUIS / PHOTOPQR / LA DÉPÊCHE DU MIDI / MAXPPP

França, 08 de junho de 2023. Ativistas franceses solicitam ao governo do país que "STOP SHEIN" ("PARE A SHEIN"), aumentando a pressão política sobre a gigante da moda ultra rápida.

A campanha foi lançada na quarta-feira pela Place Publique, um partido político de centro-esquerda na França, que já fizeram ataques diretos as ligações da moda com o trabalho forçado na China.

A empresa chinesa já se tornou o centro das discussões acerca da produção exagerada de peças de roupa e acessórios, associadas a trabalhos análogos à escravidão, tornando a empresa um símbolo do impacto ambiental e social negativo da moda. Tudo isso se intensificou após as tensões entre China e o mercado ocidental – foco nos EUA – alavancar nos últimos meses.

Foto: Justin Chin/Bloomberg
Foto: Justin Chin/Bloomberg

A petição publicada recebeu quase 11.000 assinaturas em menos de 48 horas, denunciando alegações de abusos trabalhistas na cadeia de suprimento da empresa e o enorme gasto de recursos ambientais criado pela produção têxtil maçante.

O documento solicita às autoridades francesas que regulamentem o marketing que incentivam o consumo excessivo e bloqueie sites ou marcas que colocam mais de 1.000 novos produtos por dia em suas plataformas.

O Governo já respondeu e relata que já está trabalhando em uma série de políticas para incentivar a indústria da moda de forma mais sustentável. Enquanto isso, manifestações contra a empresa e pressões aos representantes franceses definem a movimentação do protesto.

A Shein ainda não se pronunciou sobre o caso. Lembrando que a empresa já disse, anteriormente, que não tolera qualquer ligação com trabalho forçado.

Será que o mundo está acordando para as consequências causadas pelo fast fashion?