Varejistas buscam tecidos "respiráveis" para impulsionar vendas em meio ao calor extremo no Hemisfério Norte

12/08/2023

Grandes marcas como Macy's e Columbia Sportswear expandem uso de materiais leves e de desempenho para atrair consumidores em busca de alívio do calor recorde.

Foto: REUTERS/Kate Masters
Foto: REUTERS/Kate Masters

Grandes varejistas do setor de moda, incluindo Macy's e Columbia Sportswear, estão intensificando seus esforços para atender à crescente demanda por roupas "respiráveis" e "refrigeradoras" à medida que temperaturas recordes levam os consumidores a buscar peças que proporcionem alívio em meio ao calor escaldante. Nesse sentido, empresas como VF Corp e Reformation também estão adotando tecidos como o Tencel, uma fibra liocel conhecida por sua alta capacidade de absorção, como alternativa ao algodão.

Diante das quedas nas vendas de vestuário, os varejistas estão lançando roupas leves e de desempenho que oferecem conforto em clima quente. A Macy's, por exemplo, lançou uma linha que inclui um trench coat feito com liocell e camisetas feitas com modal, fibras leves e respiráveis. Entretanto, embora esses materiais sejam amplamente utilizados em roupas esportivas há anos, a crescente demanda por alívio térmico está impulsionando a comercialização dessas peças em diversas marcas.

A busca por tecidos mais frescos ocorre em um momento em que varejistas enfrentam desafios econômicos e mudanças climáticas, levando a uma crescente oferta de roupas que buscam proporcionar "resfriamento ativo". A Columbia Sportswear, por exemplo, lançou um moletom com tecnologia Omni-Freeze Zero Ice, que combina características de resfriamento ativo com propriedades absorventes. A tendência indica que a indústria da moda está cada vez mais focada em atender às necessidades dos consumidores em um cenário de mudanças climáticas em curso.